Agência de Notícias
No fim da manhã desta quarta-feira (23), em solenidade no Salão Júlio de Castilhos, os músicas Kleiton e Kledir receberam a Medalha do Mérito Farroupilha por sua trajetória, contribuição cultural e reconhecido sucesso. A mais importante honraria concedida pelo Parlamento gaúcho foi entregue pelo presidente da Casa, deputado Valdeci Oliveira (PT), e pelo proponente da homenagem, deputado Fernando Marroni (PT). 

Antes de seu discurso, Marroni anunciou a exibição de um vídeo em homenagem à dupla. O parlamentar fez um retrospecto da música produzida no RS, lembrando que ela se concentrava no folclore regional e, com raras exceções como Teixeirinha e Gildo de Freitas, conseguia ultrapassar a fronteira do estado. Citou ainda Lupicínio Rodrigues como outro expoente gaúcho que encontrou sucesso no Brasil. Em seguida, destacou a trajetória profissional dos homenageados, que são conhecidos como embaixadores culturais do RS no país e no mundo. "As canções de Kleiton e Kledir possuem universalidade poética, que nos aproximam das nossas origens", ressaltou. Marroni encerrou dizendo que espera que a dupla, que completou recentemente 40 anos de carreira, siga ainda disseminando pelo mundo a arte gaúcha tradicional, mas também moderna e contemporânea.

Valdeci disse estar feliz em poder participar da entrega da medalha, que foi proposta por Marroni, mas é uma homenagem de todos os 55 parlamentares da Casa. Enfatizou que, em um mês em que o país perdeu grandes artistas, citando o falecimento de Gal Costa e Erasmo Carlos, é gratificante poder reconhecer o trabalho de Kleiton e Kledir em vida. "A arte e a música nunca foram tão necessárias quanto agora", declarou Valdeci, lembrando da sua importância para a saúde mental das população. 

Kleiton agradeceu o carinho com o qual foi recebido e destacou a importância de sua família, onde a educação e a arte sempre foram presentes. Falou de sua trajetória formal na música e relatou que a dupla sempre foi curiosa e participativa em diversos movimentos culturais. O músico lembrou que eles tiveram o desafio de criar algo novo na música popular a partir do Sul do Brasil, não desistiram e conseguiram sedimentar sua carreira. "Quando fazemos shows pelo país e no exterior e vemos o público cantando as nossas músicas, temos a sensação do dever cumprido", contou. Para Kleiton, o sucesso da dupla na carreira artística é resultado, além do dom e do estudo, do foco na qualidade do que é produzido, da resiliência, da humildade e da perseverança.

Kledir disse que eles não fazem música para receberem homenagem, mas quando ela vem é muito bom. "Não para alimentar o nosso ego, mas para confirmar que estamos no caminho certo", explicou. O artista apontou que o reconhecimento e o apoio do poder público é muito importante para a área cultural, citando editais lançados pelo governo do Estado e também o trabalho de divulgação realizado pela imprensa. Ele declarou que a homenagem é dividida com toda uma geração de pioneiros que não tinham uma referência próxima e aprendeu a fazer fazendo. Emocionado, citou o amigo Bebeto Alves, que faleceu recentemente. Kledir ainda destacou a importância de sua família e dos amigos, artistas e fãs na carreira da dupla. "Vou guardar com carinho essa medalha, que é um incentivo para que a gente continue produzindo cada vez mais. Espero que também sirva de incentivo para essa gurizada que já está brilhando no cenário artístico do Rio Grande do Sul", encerrou.

A secretária de Estado da Cultura, Beatriz Araújo, enfatizou que Kleiton e Kledir são uma dupla de artistas gaúchos que nos representam da melhor forma possível há quase 50 anos no país e no mundo. "Com seu talento e simpatia, levaram para além das fronteiras do Rio Grande do Sul um pouco do nosso jeito de ser, de pensar, de falar, sem perder o sotaque de toda uma geração que se identificou com sua sonoridade. Isso é motivo de celebração e de justa homenagem", afirmou. Ela ainda citou algumas ações realizadas por sua pasta, destacando a satisfação em ter realizado, em 2021, a live show que celebrou os 40 anos de carreira da dupla.

Além de amigos e familiares da dupla, participaram a deputada Luciana Genro (PSOL), o ex-prefeito de Porto Alegre José Fogaça, integrantes da comunidade cultural e artística e representantes de entidades como UFRGS, Secretaria de Cultura e Economia Criativa de Porto Alegre, Casa de Cultura Mário Quintana, Conselho Estadual de Cultura e Fundação Ecarta.

Homenageados*
Naturais de Pelotas, os irmãos Kleiton Alves Ramil e Kledir Alves Ramil começaram a estudar música muito cedo, incentivados pelos seus pais. 

Nos anos 70, lançaram, com mais três amigos, a banda Almôndegas. Foram quatro discos, uma infinidade de shows e a mudança para o Rio de Janeiro. Quando o grupo de dissolveu, eles decidiram prosseguir a carreira em dupla.

Em 1980, foi lançado o primeiro disco de Kleiton e Kledir. O sucesso foi imediato e os shows arrastavam multidões por todo o país. A carreira da dupla soma mais de 20 discos gravados entre Brasil, Los Angeles, Nova York, Lisboa, Paris, Miami, Buenos Aires e shows nos EUA, Europa, Oriente Médio e América Latina. Eles têm oito indicações para o Prêmio Açorianos.

Símbolos do gaúcho contemporâneo, Kleiton e Kledir foram duas vezes vencedores do troféu de melhor álbum no Prêmio da Música Brasileira e homenageados no desfile de escolas de samba do carnaval do Rio de Janeiro. Recentemente, os músicos completaram 40 anos de carreira

*Com informações do Cerimonial da ALRS