Agência de Notícias
O deputado Fábio Ostermann (NOVO) ocupou o Grande Expediente da sessão plenária desta quinta-feira (12) para homenagear o Estado de Israel, criado há 74 anos a partir do plano de partilha da Palestina, aprovado na 2ª Assembleia Geral das Nações Unidas, que foi presidida pelo ex-governador do Rio Grande do Sul, Osvaldo Aranha. O evento reuniu no Plenário 20 de Setembro integrantes da comunidade judaica e israelense do Rio Grande do Sul e lideranças políticas do estado. 

Ocupando uma área equivalente ao estado de Sergipe e uma com população menor que a do Rio Grande do Sul, o país do Oriente Médio tem um dos 20 maiores Índices de Desenvolvimento Humano e Produto Interno Bruto per capita do mundo. Para o  parlamentar, Israel se constituiu num “Oásis de fertilidade, liberdade, prosperidade e tolerância em meio à aridez climática, política e humanitária”. 

Ostermann lembrou que o Estado de Israel precisou, muitas vezes, guerrear pela sua sobrevivência. “Por isso, nos acostumamos a falar deste país tão belo sempre por meio de sua necessária belicosidade. Hoje, no entanto, proponho que façamos diferente: lembremos do povo de Israel como um povo na eterna busca da paz”, sugeriu.

Ele elencou também as atrocidades cometidas contra os judeus ao longo da história, “da diáspora, quando foram expulsos da sua terra, passando pela inquisição e os pogroms (violentos ataques físicos da população em geral contra os judeus), até culminar na barbárie do holocausto nazista”. “A busca pela paz até hoje é uma necessária vocação israelense. Cercado por ditaduras e grupos fundamentalistas, que subjugam a população pela força e pela propaganda, Israel é um oásis de liberdade e democracia. Um país próspero, que floresceu do trabalho de homens e mulheres determinados”, declarou.

Inovação 
Referência mundial em inovação e tecnologia, o país é conhecido como o “Vale do Silício” do Oriente Médio. O aplicativo Waze, por exemplo, veio de lá. Iniciativas como o Wix, um dos maiores criadores de sites do mundo, e o Moovit, de mobilidade urbana, também, além dos grandes avanços nas áreas da indústria aeroespacial, de cibersegurança e energia, desenvolvidos por empresas e profissionais israelenses.

O parlamentar ressaltou ainda que, mesmo localizado entre os desertos de Neguev e da Judeia, até poucas décadas atrás assolado pela seca, Israel é uma potência agrícola, capaz de alimentar milhões de pessoas. A água, segundo ele, foi uma das grandes façanhas do país, que na época de seus primeiros assentamentos enfrentou o desabastecimento que insistia em ser um dos grandes desafios para o crescimento da população na região. “Foi com tecnologia, inovação e incentivos corretos que a crise foi contida, com bem-sucedidas parcerias entre o governo e o setor privado. De seus esforços, nasceram inovações na área de dessalinização, a famosa técnica de irrigação por gotejamento e avanços importantes na reciclagem da água, hoje presente em cerca de 80% do abastecimento”, revelou, reforçando que o exemplo israelense deve ser estudado pelos gaúchos que enfrentam estiagens cíclicas.

Bom Fim
Ostermann mencionou também as raízes israelitas no Rio Grande do Sul, simbolizadas pelo bairro Bom Fim, tradicional reduto da comunidade judaica em Porto Alegre, e eternizadas pelo escritor gaúcho Moacir Scliar em livros aclamados como Guerra no Bom Fim e Centauro no Jardim. “Esses laços entre Israel e o Rio Grande do Sul são tão fortes graças a valores compartilhados entre nossos povos. Ambos são lar de gente guerreira e trabalhadora. Povos orgulhosos de seu passado de luta pela liberdade e dispostos a um futuro de paz, prosperidade e tolerância. Gente com fé em dias melhores, que não esmorece frente às dificuldades. Gente que sabe das dificuldades que hoje enfrenta no dia a dia, mas sabe que as suas façanhas passadas não foram fruto do acaso, e que as futuras virão pelo seu próprio esforço e dedicação em fazer da sua terra um lugar melhor para se viver”, finalizou. 

Os deputados Airton Lima (PODEMOS) e Guiseppe Riesgo (NOVO) se somaram à homenagem por meio de apartes.