Republicanos
Em 18 de maio de 1973, a menina Araceli, de 8 anos, foi sequestrada, drogada, violentada sexualmente e assassinada, em Vitória (ES). No ano de 1991, os três réus acusados de matar a menina foram absolvidos e o crime permanece impune até hoje. O Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual Infantil, 18 de maio, foi instituído por lei no ano de 2000 em alusão ao caso. Nasceu então o Maio Laranja, sendo uma iniciativa que busca dar visibilidade ao assunto e conscientizar toda a sociedade para se engajar nesta luta. 

Dados divulgados pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância – UNICEF – informam que entre 2016 e 2020, 180 mil meninas e meninos sofreram violência sexual no Brasil. Os números foram coletados em um levantamento inédito que traça um panorama da violência letal e sexual contra crianças e adolescentes no Brasil e que analisou registros da segurança pública de todos os estados. Na contramão da proteção, o estudo revela ainda que a maioria das crianças são vítimas de violência física ou sexual de agressor conhecido e muitas vezes dentro de casa. 

Já no Rio Grande do Sul, dados do Observatório Estadual da Segurança Pública, demonstram que “o número de ocorrências de abusos contra vítimas de 0 a 17 anos no RS, considerando os registros de “exploração sexual infanto-juvenil”, “estupro” e “estupro de vulnerável”, subiu 2% em 2021, de 3.249 casos para 3.305.” Estes números são os registrados, com certeza há uma cifra oculta de casos não denunciados, muitos deles com a violência continuada, ou seja, a criança é violentada ao longo de anos e anos, causando sequelas irreparáveis na vítima. 

Diante desse quadro, NÃO podemos ficar inertes. Uma das principais armas para combater essa pandemia da violência sexual contra nossas crianças é a denúncia. Precisamos estar atentos aos sinais. Pais, professores, amigos, vizinhos, todos precisam estar vigilantes para auxiliar as forças de segurança nesta missão de cuidar e proteger a infância dos brasileirinhos, que sozinhos não conseguem se proteger. O Disque 100 do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos funciona 24 horas por dia, com ligações gratuitas de todo o Brasil, além do Aplicativo SABE Conhecer, Aprender e Proteger, um espaço para informação e denúncia. No estado, o Disque Denúncia 181 e o Denúncia Digital, no site da Secretaria de Segurança Pública. Não se cale, ajude a proteger a infância, não só no Maio Laranja, mas o ano inteiro! 

*Deputada estadual (Republicanos)