Republicanos
Ultimamente estamos ouvindo falar muito sobre o direito à liberdade, sendo um assunto que vem sendo recorrente em diálogos privados, redes sociais e também nos meios de comunicação. As imposições estabelecidas por nossos governantes têm fomentado ainda mais o debate. Algumas questões que provocam discussão são as medidas impostas pelos governantes com a justificativa de enfrentar a pandemia causada pelo Coronavírus. Nesta senda o Estado tem interferido cada vez mais na vida dos cidadãos, impondo exigências, sem nenhuma certeza de que essas restrições irão efetivamente contribuir para o controle da pandemia. 

Mas até que ponto o Estado pode decidir o que é melhor para mim ou para a minha família? Penso que, nós cidadãos, temos o direito de decidir o que é melhor para nossos filhos. Precisamos ter a liberdade de viver nossas vidas conforme nossos princípios e escolhas, respeitando, sempre, a legislação e em especial a Constituição Federal que garante essa liberdade a todos os brasileiros. 

Infelizmente estamos vendo que o Estado, por meio de seus agentes, tem tomado cada vez mais posições autoritárias, decidindo o que é melhor para nós e nossos filhos, sem que possamos dar opinião, constrangendo e segregando aqueles que não concordam com essas imposições. Além disso, ainda lidamos com uma grande insegurança jurídica, pois cada estado e ou município edita uma norma diferente que muitas vezes é submetida ao Poder Judiciário que acaba dando interpretação diversa ou revogando, deixando o cidadão sem saber de que forma deve agir, em muitos momentos. 

Por isso a luta pela liberdade é constante, é diária. É preciso garantir a tão falada liberdade de maneira efetiva, assim como o respeito pela decisão do próximo. Vivemos um tempo de imposição de pensamento e de “cancelamento” de quem pensa diferente. Não podemos nos calar! Não a ditadura da imposição, sim a liberdade e o respeito!

*Deputada estadual (Republicanos)