Agência de Notícias
Confira o resumo dos pronunciamentos durante o período das Comunicações da sessão ordinária desta terça-feira (28). A íntegra pode ser ouvida no endereço www.al.rs.gov.br/legislativo, em áudios das sessões.

Em Comunicação de Liderança, o deputado Airton Lima (PL) solicitou ao líder do governo, deputado Mateus Wesp (PSDB), e à secretaria de Logística, a inclusão no programa Avança RS de 18 quilômetros de pavimentação na ERS 410, que ontem foi interditada. Elogiou o desempenho de Juvir Costella à frente da pasta, mas criticou a intenção de destinar R$ 495 milhões  para recomposição de duas rodovias federais no estado, quando estradas como a ERS 410 precisam de melhorias para o escoamento da safra e também o transporte em geral. Pediu apoio das bancadas da base do governo para a sua demanda. 

Pedro Pereira (PSDB) lamentou o brutal assassinato do motorista Leandro Pinto de Fraga, ocorrido dia 21 deste mês em Viamão, cujo criminoso já foi preso pela  Brigada Militar e a Polícia Civil.  Referiu o PL 296/2017, de sua autoria, que tramita há cinco anos na Casa visando maior segurança para motoristas e usuários do transporte público e pediu  que o mesmo seja agilizado nas comissões técnicas. A matéria prevê instalação de equipamentos de filmagens e sons nos veículos de transporte público de passageiros, operando em todo o percurso, e no interior, haverá placas indicativas sobre as câmeras, cujas imagens serão armazenadas pelo período de 30 dias pelas empresas. Comentou, ainda, que sem a presença dos cobradores, os motoristas ficam ainda mais vulneráveis. 

Sérgio Turra (PP) destacou o papel do líder da fronteira oeste, pelo seu trabalho à frente da Famurs, o prefeito de São Borja, Eduardo Bonotto, que na terça-feira última passou o cargo para o prefeito de Restinga, Paulinho Salerno. Bonotto enfrentou um dos momentos mais dramáticos da história estadual, que foi a pandemia, e com a habilidade em dialogar soube encaminhar as ações dos municípios nesse momento dramático, buscando recursos para saúde, a retomada das aulas presenciais e da economia; debateu as privatizações, importantes para o RS tomar um novo rumo, realizou importantes Câmaras Temáticas, em especial na área da tecnologia; e realizou a maior assembleia de verão da Famurs, tratando da defesa intransigente do municipalismo. Através da reformulação da Escola de Gestão da Famurs, capacitou mais de cinco mil servidores públicos. “Um líder que merece nosso reconhecimento, tanto dos Progressistas quanto desta Assembleia”, afirmou.

Pepe Vargas (PT) saudou manifestantes nas galerias contrários à PEC 274 e abordou a mobilização promovida nesta terça-feira em Porto Alegre, pelos trabalhadores do saneamento. Lamentou que o governo do Estado mantenha a disposição em privatizar a Corsan, mesmo com as garantias na campanha eleitoral de Eduardo Leite de que não venderia nem Corsan nem Banrisul. Com o tema já chancelado pela Assembleia, discorreu sobre o fracasso das privatizações na área do saneamento em todo o mundo, com tarifas altas a ponto de a maioria estar revertendo esse processo. Fez apelo ao governador Ranolfo Vieira Júnior, que é servidor público, para que “entre na história, como Leonel Brizola, que estatizou os serviços de telefonia e energia elétrica”, assim como os governadores Olívio Dutra e Tarso Genro impediram a venda do Banrisul. Disse que a Corsan é lucrativa e assegura a universalização da água, assim como o Banrisul é lucrativo, reiterando o apelo ao governador para que revogue a autorização de privatização da Corsan.

Sofia Cavedon (PT) falou sobre o ato público ocorrido, hoje (28), em Porto Alegre, em alusão ao Dia de Luta em Defesa da Água e do Saneamento Público. Segundo a parlamentar, a mobilização reuniu mais de 10 mil pessoas em torno do prédio do Dmae, na rua 24 de Outubro, para denunciar os riscos e prejuízos que a privatização da Corsan  e do Dmae causarão à população. Ela disse que foi uma manifestação histórica, unindo trabalhadores e trabalhadoras do saneamento de Porto Algre e do RS na defesa da água pública. Sofia afirmou que a ideia do governo Leite e sua continuidade de entregar a água pública à exploração privada é inaceitável. A deputada comentou também a privatização da CEEE e os serviços prestados pela atual concessionária. "Mesmo com lucro extraordínário, que distribuiu 1,2 bilhões de reais aos seus acionistas, a Equatorial deixou muito povo gaúcho sem energia elétrica, muitos dias, causando danos e prejuízos irrepáveis. O caminho da água não deverá ser o mesmo", registrou. Sofia Cavedon concluiu seu pronunciamento dizendo que "não queremos nos remeter a uma empresa para água, para energia elétrica, para a comida. São bens públicos para a sobrevivência humana e têm que ser garantidos para todos e todas. Não a privatização!", concluiu.

Dr. Thiago Duarte (União) relatou reunião da Frente parlamentar em Defesa do Hospital Psiquiático São Pedro ocorrida hoje (28), com representantes da Secretaria da Saúde, Sindicato Médico do RS, corpo de médicos residentes e funcionários do hospital. Conforme ele, o atendimento da saúde mental no RS é estarrecedor. "Temos nos dias de hoje 263 pacientes aguardando nas emergências de pronto atendimento e em hospitais de pequeno porte por atendimento de internação psiquiátrica, com indicação precisa", narrou. O deputado salientou que em outra ponta, o Hospital Psiquiátrico São Pedro está retirando técnicos de enfermagem, psicólogas, assistentes sociais e enfermeiras do atendimento de pacientes agudos para colocá-los para gerir e atender nos residenciais terapêuticos. "É uma inversão completa da prioridade da saúde. Esses técnicos precisam voltar a atender os pacientes agudos do hospital e aqueles que ficam em locais inapropriados como emergências de pronto atendimento", salientou. Dr. Thiago Duarte afirmou que o cenário da saúde psiquiátria no estadodo é caótico, estabelecendo um "estado em emergência psiquiátrica". Para ele, é preciso  repensar e reestruturar toda a questão vinculada ao Hospital São Pedro, com a volta de técnicos ao atendimento de pacientes agudos, celeridade no chamamento ao aprovados em concurso público para a instituição, retorno dos serviços de nutrição e manutenção do Hospital, entre outras demandas a serem providenciadas pela Secretaria da Saúde.