Agência de Notícias

Dos 55 parlamentares eleitos no pleito de 2018, 50 devem concluir o mandato e cinco são suplentes que acabaram assumindo a titularidade em suas bancadas ao longo da 55ª Legislatura. Durante esses quatro anos, chegou a nove o total de suplentes que exerceram, temporariamente ou de forma permanente, o cargo de deputado estadual.

Dos cinco que acabaram assumindo a titularidade, quatro foram empossados, inicialmente, para substituir os eleitos quando eles se afastaram do mandato para exercerem o cargo de secretários de Estado entre 2019 e 2022. Foi o caso de Carlos Búrigo (MDB), Rodrigo Lorenzoni (PL), Patrícia Alba (MDB) e Beto Fantinel (MDB). A única suplente que assumiu a titularidade já quando foi convocada, em 2022, foi Stela Farias (PT), em função da Justiça Eleitoral determinar a perda de mandato de Luís Augusto Lara (PTB).

Os outros quatro suplentes que chegaram a exercer o mandato no Legislativo gaúcho durante o período ocuparam a cadeira temporariamente entre 2021 e 2022. Foram Clair Kuhn (MDB), Regina Becker (União), Marcus Vinícius (PP), e Faisal Karam (PSDB).

MDB
Quatro suplentes do MDB, que concorreu com chapa pura em 2018, assumiram vagas na Casa na 55ª Legislatura. Logo na primeira sessão ordinária do ano, em 5 de fevereiro de 2019, com a ida do titular Juvir Costella para a Secretaria de Estado dos Transportes, tomou posse o 1º suplente do partido, Carlos Búrigo. Ele seguiu na bancada como suplente até 9 de dezembro de 2020, quando o titular Sebastião Melo renunciou ao mandato para se dedicar à transição da prefeitura de Porto Alegre, já que obteve vitória nas eleições municipais de 2020.

Na data, a 2ª suplente do MDB, Patrícia Alba, então foi convocada e ficou substituindo Costella. De 15 a 23 de dezembro de 2020, Costella reassumiu seu mandato na ALRS. Após, voltou para o Executivo, o que fez com que Patrícia Alba retornasse à Casa. Em 1º de janeiro de 2021, quando o titular Fábio Branco renunciou ao mandato por ter assumido o cargo de prefeito de Rio Grande, Patrícia Alba tornou-se titular na sua bancada.

Com isso, foi convocada a 3º suplente do MDB, Comandante Nádia, que se declarou impedida de assumir a vaga, já que havia trocado de sigla partidária. Assim, assumiu o 4º suplente, Beto Fantinel, na vaga de Costella. Em 9 de março de 2021, com a ida do titular Edson Brum para a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, foi empossado o 5º suplente, Clair Kuhn. Em 31 de março de 2022, Costella retoma seu mandato na ALRS, mas Edson Brum segue no governo. Com isso, Fantinel passa a ocupar a vaga de Brum e Kuhn deixa a Casa. E, em 14 de junho, com a renúncia de Brum para assumir como conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, Fantinel se tornou titular na bancada.

Rio Grande Acima de Tudo (PSL/DEM)
Na sessão de 27 de março de 2019, o 1º suplente da coligação Rio Grande Acima de Tudo, Rodrigo Lorenzoni (DEM na época), assumiu a vaga do deputado Ruy Irigaray (PSL), que tomou posse como secretário estadual de Desenvolvimento Econômico e Turismo. Lorenzoni permaneceu no Parlamento até 21 de fevereiro de 2020, quando Irigaray reassumiu seu mandato na Casa. Em 29 de março de 2022, Lorenzoni volta à Casa, agora como titular, após o Legislativo gaúcho aprovar a perda de mandato de Irigaray.

Juntos pelo Rio Grande (PPS/Rede/PSDB/PHS)
Na sessão de 23 de março de 2021, o 1º suplente da coligação Juntos pelo Rio Grande, Faisal Karam (PSDB) assumiu a vaga do titular Luiz Henrique Viana (PSDB), que foi exercer o cargo de secretário de Estado de Meio Ambiente e Infraestrutura. Faisal permaneceu na Casa até 31 de março de 2022, quando Viana reassumiu seu mandato.

Trabalho e Progresso (PP/PTB)
A 1ª suplente da coligação Trabalho e Progresso, Regina Becker (PTB na época), assumiu, em 30 de março de 2021, a vaga da titular Silvana Covatti (PP), que se tornou secretária estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural. Seis dias depois, Regina voltou ao Executivo, onde exercia o cargo de secretária estadual do Trabalho e Assistência Social.

Com isso, foi convocado o 2º suplente da coligação, Marcus Vinícius (PP). Ele permaneceu na vaga de Silvana até 31 de março de 2022, quando ela retornou à Assembleia Legislativa.

PT
Na sessão de 15 de março de 2022, a 1ª suplente do PT, Stela Farias, tomou posse como titular no Parlamento gaúcho. Ela ficou no lugar de Luís Augusto Lara (PTB), que teve a perda de mandato declarada pelo Tribunal Regional Eleitoral em 4 de março. A definição de quem ocuparia a vaga de Lara foi feita pelo TRE após nova totalização de votos do pleito de 2018.