PSOL
A deputada estadual Luciana Genro (PSOL) denunciou à Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor do Ministério Público o aumento abusivo no valor do medicamento Deposteron, usado para reposição hormonal de testosterona, essencial para diversas pessoas trans e pessoas com produção deficitária do hormônio. Uma caixa com três ampolas do medicamento passou de R$ 50 para cerca de R$ 200 em curto espaço de tempo.

A demanda foi recebida por Luciana Genro de um apoiador que utiliza a medicação devido à baixa produção de hormônio. O Deposteron também é muito utilizado por homens trans e nem sempre é disponibilizado pelo SUS. No caso das pessoas trans, Luciana Genro também é autora da emenda que destinou R$ 500 mil para a compra de hormônios voltados à população que é atendida pelo Ambulatório Trans de Porto Alegre.

“Esse aumento abusivo do preço do medicamento tem um impacto muito grande na comunidade trans, que já é tão vulnerável socialmente. Os homens trans, que já enfrentam invisibilidade e diversos preconceitos, agora precisam também lidar com a falta de acesso à testosterona. Precisamos que providências sejam tomadas”, aponta Luciana Genro.

A alta dos preços afetou duramente os homens trans, muitos dos quais vivem em situação de vulnerabilidade. “Assim, de uma semana para outra, nós, homens trans, que fazemos uso de medicamentos hormonais compostos por testosterona, por prescrição médica, nos deparamos com uma alta de 4 vezes no preço do medicamento mais utilizado e, até então, mais acessível dos disponíveis para nós”, escreveu Noah Scheffel, homem trans colunista do UOL.

Na denúncia enviada ao MP, Luciana Genro atenta para as consequências gravíssimas para a saúde pública, já que diversas pessoas serão obrigadas ou a interromper os seus tratamentos ou a iniciar tratamentos com compostos adquiridos no mercado paralelo, que é desregulamentado e extremamente perigoso, como alerta o médico Marco Cavalcanti.